Carrinhos ambulantes ganham espaço e ocupam praças e ruas de Fortaleza

Maria de Fátima e Flavia Holanda são alguns microempreendedores que saíram da fila do desemprego para investir nos seus carrinhos de comida ambulante

IMG_0433

Maria de Fátima, conhecida também como “Loura”, mora no bairro Paupina, em Fortaleza. Há dois anos ficou desempregada e resolveu se tornar dona do próprio negócio. Hoje, ganha a vida vendendo alimento próximo à Praça do Ferreira, no Centro da Cidade. Tapiocas, pamonhas, bolos, salgados e cafezinho compõem seu carrinho móvel de vendas.

Antes de montar seu próprio negócio, Maria de Fátima trabalhava fazendo tapiocas no shopping Lisbonense. Foi quando seu chefe resolveu fechar a loja e Maria ficou desempregada. Após alguns meses sem emprego, ela recebeu o conselho de um colega, que sugeriu que ela montasse o próprio negócio.

Maria fez um empréstimo e conseguiu comprar seu carrinho. Com o alvará de funcionamento em mãos, o carrinho em casa e a vontade de fazer dar certo, a empreendedora começou a trabalhar por conta própria. Com um sorriso aberto no rosto, ela revela que trabalhar com o “povão” é uma experiência maravilhosa e enriquecedora. O carrinho fica estacionado no mesmo lugar de segunda a sábado, das sete da manhã às cinco da tarde.

Das suas vendas, Maria conseguiu comprar tudo para a casa dela. Ela diz também que fatura entre R$ 200,00 e R$ 300,00, mas, nos dias mais movimentados arrecada em torno de R$ 400,00.

Os carrinhos empreendedores

Com o objetivo apoiar e beneficiar o maior número de empreendedores da Cidade, o Programa de Empreendedorismo Sustentável, da Prefeitura de Fortaleza, oferece acesso à formalização de negócios, capacitação gerencial, consultoria empresarial, microcrédito, comercialização de produtos e serviços, além de contribuir com o INSS mensalmente. De janeiro de 2014 a novembro de 2015, em média 34.700 serviços foram prestados pelo Programa.

Para aprimorar o desenvolvimento dos vendedores ambulantes do comércio de pipoca, em IMG_04232015 foi lançado o projeto Meu Carrinho de Pipoca. Inicialmente, 200 ambulantes de pipoca serão beneficiados pelo Projeto. Os empreendedores selecionados serão capacitados para trabalhar com planejamento, vendas, finanças, segurança no trabalho e manipulação de alimentos, além de orientações acerca do Regulamento de Responsabilidade de Uso dos novos carrinhos de pipoca.

O projeto estimulou algumas pessoas a sair da fila do desemprego e ganhar dinheiro com seu próprio negócio. Foi o caso de Flavia Holanda, microempreendedora que também resolveu investir no carrinho. Trabalhando há seis anos com venda, a empreendedora decidiu mudar o produto comercializado, pois identificou uma oportunidade de aumentar suas vendas. “Conheci o projeto Meu Carrinho Empreendedor e resolvi participar do processo seletivo. Estou adquirindo uma perspectiva melhor de crescimento para o meu negócio”, conta.

Assim como Maria de Fátima e Flavia Holanda, outros microempreendedores estão espalhados pela Cidade. Inúmeros carrinhos disputam espaço diariamente nas calçadas movimentados do Centro. O dia a dia é corrido, mas, por meio do seu próprio negócio muitos empreendedores alcançam seus sonhos.

Erikson Amaral e Larissa Becker

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s